Um dos instrumentos para aplicar o Visagismo são os cortes de cabelo, onde, se pode modificar a forma, a estrutura e o estilo do mesmo.

Afirmam CRUZ, S.; MARTÍNEZ, M. J.; ARTERO, R. (El Corte Método Natural Cutting, 2006), os autores dizem da importância do cabelo. Tem-se atribuido distintos significados ao longo da história como, por exemplo, poder, status social, força, atração sexual. Isto se tem observado em diversas e distintas culturas, o corte de cabelo se associa a força perdica (Bliblia/Sansão e Dalila), virilidade em homens e a perdida atração sexual pela mulher. Algumas lendas dos cantos da sereia e seus longos e lindos cabelos seduziam os pescadores.

No antigo Egito os homens raspavam a cabeça como simbolo de sabedoria, renuncia e pureza, os jovens querreiros demonstravam virilidade e força usando cabelos compridos e cacheados, carregando seus filhos do lado direito dos cahos ondulados.

Na Biblia, Sansão, profeta, possuidor de incrível força física, advinda da longa cabeleira. Perde a força, ao ser cortado seus longos cabelos por Dalila, sua amante.

Algumas seitas Hindus, como os guerreiros Sick, jamais cortavam os cabelos, pois acreditavam que ele era a fonte de energia. Por outro lado os monges budistas raspam a cabeça completamente. Para os romanos, o cabelo era simbolo da posição social. Alguns historiadores dizem que Júlio Cezar adotou o costume de usar uma coroa de louros para disfarçar a calvice. Heinrique VIII, fervoroso devoto de si mesmo, emitiu um decreto para que os homens se penteassem todos como ele. No século XVII os franceses exportavam suas melhores perucas.

Até os nossos dias, os cabelos, seus cortes, são representados por simbolismos e significados.

Através de uma pesquisa bibliográfica buscamos compreender esses mecanismos.